Flamingos na Ilha da Murraceira

Um habitat para preservar...

Como amante da fotografia e não sendo fotógrafo de aves, fotografar estes flamingos em pleno habitat natural foi para mim um momento único. Cada imagem ficou também registada no meu subconsciente. Fico apenas triste a cada regresso a casa pois com a rápida transformação destes locais pelo homem, muito acentuada também no baixo Mondego, tal facto deixa a cada dia que passa, menos espaço para estas e outras aves magníficas. É urgente alterar esta situação.

Locais onde foram recolhidas as imagens a seguir apresentadas







A aquacultura em franco crescimento nesta região, a pesca em todos estes canais da Murraceira e mesmo a caça furtiva a limícolas e a flamingos, todos estes factores são uma ameaça para a permanecia desta e de outras espécies nesta região. Para se constatar tal facto basta uma passagem por esta região das antigas salinas do Mondego.


A existência de um elevado fluxo de nutrientes provenientes dos campos agrícolas do vale do Baixo Mondego origina eutroficação das zonas intermareais, provocando o crescimento elevado de macro-algas. Existe uma gradual transformação das salinas activas em aquaculturas ou em salinas abandonadas, o que se traduz por uma perda irreversível de habitat de alimentação e nidificação de aves limícolas.


O flamingo (Phoenicopterus spp.) é uma ave pertencente à família Phoenicopteridae da ordem Ciconiiformes, anteriormente Phoenicopteriformes. Alguns autores separam o flamingo-andino e o flamingo-de-james em um gênero à parte, Phoenicoparrus, por causa de certas diferenças no bico.


Os flamingos são aves pernaltas, de bico encurvado, que medem entre 90 e 150 cm de altura. A sua plumagem pode ser bastante colorida em tons de rosa vivo.


Os flamingo são aves que se alimentam de algas e pequenos crustáceos através de filtração. São também aves gregárias, que vivem em bandos numerosos junto a zonas aquáticas. Algumas espécies conseguem inclusivamente habitar zonas de salinidade extrema, como é o caso destes flamingos que passam o inverno na ilha da Murraceira.








A Ilha da Murraceira localiza-se na foz do Rio Mondego. Nesta zona o rio divide-se em dois braços, rodeando uma ilha de aluvião. Os dois braços (norte e sul) juntam-se novamente a cerca de 1 km da embocadura, em frente da cidade da Figueira da Foz. O sítio compreende a Ilha da Murraceira, a zona entre o braço sul e o Rio Pranto (afluente que desemboca no braço Sul) e a zona a sul do braço Sul do Rio Mondego.

O braço Sul possui zonas intermareais, sapais e caniçais e juncais. A Ilha da Murraceira e a zona a sul do Braço Sul compreende sapais, salinas e aquaculturas. A zona entre o braço Sul e o Rio Pranto engloba sapais, caniçais e arrozais.



Fotos: Nelson Afonso

É importante reconhecer a importância de zonas húmidas, como o Estuário do Mondego, pelo seu valor ecológico mas também pelo seu valor para as populações locais, daí a importância da qualificação para Reserva Natural do Estuário do Mondego.

(Todas as fotografias apresentadas, foram recolhidas na Ilha da Murraceira no dia 11 de Outubro de 2007)

5 comentários:

Anónimo disse...

Bem estão estrondosas!!!
Dignas de um profissional.
Adorei, parabéns

Anónimo disse...

Não sabia que existiam flamingos na margem sul do Mondego, já fui ao local pela rota das salinas mas as suas fotos enaltecem a beleza do local, um excelente trabalho

Carla Amaral disse...

gostei muito das fotos, estão lindas

Anónimo disse...

Muito lindas suas fotos, de muito bom gosto... parabéns!
Solange Mazzeto

Anónimo disse...

As fotografias estão todas muito bonitas e o texto bastante esclarecedor.

Sabe-me dizer quais as melhores alturas para encontrar os flamingos nesta ilha?

Obrigado.

Votos de boa continuação